Sociedade promove ação a favor do Sistema Cantareira

Sistema compreende as represas Paiva Castro, Águas Claras, Cachoeira, Atibainha, Jaguari e Jacareí e representa o resultado de um longo trabalho de pesquisa

Várias organizações ambientais do Estado de São Paulo lutam há mais de 22 anos pela preservação do Sistema Cantareira e o seu entorno. No último sábado (15), às margens da Represa Jaguari, em Piracaia, aconteceu mais um capítulo desta luta. A bordo de caiaques e veleiros, um grupo de 30 pessoas estendeu faixas imensas para chamar a atenção da imprensa e da sociedade sobre as possíveis mudanças no Decreto 65244/2020 que criou o Plano de Manejo da Área de Proteção Ambiental – APA Sistema Cantareira.

De acordo com os organizadores, alguns prefeitos querem encaixar alterações em artigos do decreto. O receio de ambientalistas é que estas alterações permitam a instalação de empreendimentos imobiliários sem qualquer compromisso com a proteção ecológica prevista no decreto.

“Nossa missão é agora é sensibilizar os membros do Conselho Estadual do Meio Ambiente (Consema) para que não cedam à pressão destes prefeitos”, comenta Cristina Saraiva, ativista ambiental e uma das organizadoras do movimento. Além de um pedido formal ao Consema, o movimento está compartilhando um abaixo assinado para engajar mais pessoas à causa.

O decreto da APA Sistema Cantareira (que regulamentou a Lei 10.111/1998) visa proteger os recursos hídricos representados pelas sub-bacias do Juqueri, Jaguari e Atibaia para a garantia do abastecimento público de água de qualidade. Abrange os municípios de Municípios de Atibaia, Bragança Paulista, Joanópolis, Mairiporã, Nazaré Paulista, Piracaia e Vargem.

A APA Sistema Cantareira é gerida pela Fundação para a Conservação e a Produção Florestal do Estado de São Paulo – Fundação Florestal. Possui área de 254 mil hectares e está inserida nas Unidades de Gerenciamento de Recursos Hídricos – UGRHI 5 (Piracicaba, Capivari e Jundiaí) e UGRHI 6 (Alto Tietê).

História
A APA Sistema Cantareira é o resultado de um longo trabalho de pesquisa em campo da Fundação Florestal. Foram dezenas de reuniões e seminários para chegar ao texto final do Projeto de Lei. Foram visitados cada um dos Conselhos Municipais de Defesa do Meio Ambiente (Condema) das cidades envolvidas e um processo de licitação foi aberto para a contratação de uma empresa para a realização de um plano de manejo. É de se estranhar que algumas prefeituras alegam “surpresa” quanto ao decreto que criou a APA Sistema Cantareira.

Por Nelson Ricanelo – Piracaia Turismo

Post Author: ricanelo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *